Além de Roma: Lugares em três continentes e 18 países para visitar se você se interessa pelo Império Romano

Quando a gente pensa no Império Romano, é claro que pensamos em Roma. Mas não precisamos ficar só nisso: no auge do Império, ele cobriu grande parte do mediterrâneo, tanto na Europa quanto na Ásia e na África. Por isso hoje quem se interessa pela sua história pode visitar ruínas em dezenas de países nesses três continentes. Essa lista não pretende ser completa, nem tem como, mas incluir lugares diversos que devem interessar os apaixonados pelo Império Romano, além de óbvios como Roma e Pompéia.

 

1) Ravenna, Itália: a capital esquecida

basilica-de-san-apolinare-nuovo-ravenna-3

Roma não foi a única capital do Império Romano do Ocidente. Em 402, o posto passou para Ravenna, na costa da Emilia-Romagna. Depois ela seria ainda capital do reino dos Ostrogodos (um dos chamados “povos bárbaros”) e do exarcado de Ravenna, uma das possessões bizantinas na península italiana.

Para quem visita hoje, ela é mais famosa pelos mosaicos, que sobrevivem lá há vários séculos e que fazem com que essa pequena cidade tenha oito prédios reconhecidos como patrimônios culturais pela UNESCO.

Veja mais: Como os mosaicos tornam Ravenna um lugar único

 

2) Istambul, Turquia: palácio submerso

Cisterna da Basilica istambul

Quando o imperador Constantino conquistou a cidade grega de Bizâncio, chamou-a de Constantinopla. A cidade ainda mudaria de mãos e nome algumas vezes, mas a Istambul de hoje ainda mostra as camadas de história. Para ver o que resta do Império Romano por lá, você pode ver a Hagia Sophia, o Aqueduto de Valens, o Hipódromo, o Museu Arqueológico ou a Cisterna da Basílica, a incrível cisterna que ganhou o apelido de “palácio submerso”.

Veja mais: Istambul, cidade romana

 

3) Éfeso, Turquia: o que restou de uma maravilha

IMG_20160116_003728

A Turquia tem uma quantidade enorme de ruínas romanas: a cidade perdida de Tróia, a maravilhosa Afrodisias, os visuais incríveis de Hierápolis, construída sobre as piscinas de calcário com águas termais em Pamukkale. Mas vou falar só sobre mais um: a cidade de Éfeso. Você pode visitar as ruínas da biblioteca de Celso, andar pelos anfiteatros e templos, ver mosaicos, ou procurar a coluna solitária que marca o lugar onde ficava o templo de Diana, uma das sete maravilhas do mundo antigo.

Veja mais: Explorando a antiga Éfeso

 

4) Split, Croácia: o palácio ocupado

Peristilo Split

O imperador Diocleciano construiu um enorme palácio com acesso ao mar na costa do que hoje é a Croácia, antes de renunciar ao posto e se aposentar por lá. Se eu falar que ainda dá para visitar o palácio, muitas pessoas vão imaginar um museu ou ruínas, mas seu destino foi bem mais interessante: ele eventualmente virou posse do movimento Occupy da Idade Média, e até hoje é o centro da cidade de Split, cheio de casas, restaurantes, praças e albergues.

Também na Croácia, não perca as ruínas romanas de Salona e o anfiteatro em Pula.

Leia mais: Split: a vida dentro de um palácio

 

5) Baalbek, Libano: vale dos templos

Construído em um enorme vale a 80 km de Beirute, essas ruínas estão em um estado de conservação surpreendente. Dá para visitar templos dedicados a Júpiter e Baco, ou mesmo participar da festa durante o Festival Internacional de Baalbek.

 

6) Volubilis, Marrocos: entre capitais imperiais

Volubilis ruinas romanas Marrocos Basilica 1

Perto da capital imperial de Meknes, essa é uma das ruínas mais importantes no norte da África. Esse era um centro regional importante e que foi habitado até o século XI. Muitos dos turistas escolhem visitar no mesmo dia Moulay Idriss, uma cidade histórica e importante lugar de peregrinação.

 

7) Cesaréia, Israel: nos passos de César

Antigamente uma cidade vibrante onde Júlio César foi recebido (e que foi renomeada em sua honra), Cesaréia hoje é um enorme parque nacional em Israel. Ela inclui as ruínas do palácio de Herodes, que alguns apontam como residência de Pôncio Pilatos, e o porto submerso, que é possível ver em excursões de mergulho.

 

8) Jerash, Jordânia: ruínas romanas no deserto

Quando a gente pensa em antiguidades na Jordânia, é inevitável pensar em Petra, mas a região era um verdadeiro melting-pot de culturas. Por isso, podemos também visitar Jerash, a apenas 48 km da capital, Amman, e considerada por alguns especialistas como as ruínas mais bem preservadas fora da Itália.

 

9) Arles, França: dos romanos a Van Gogh

Arles às vezes é chamada de “a Roma da França”, por causa do número de prédios antigos. Ela antigamente ficava em uma importante rota comercial que ligava Roma à península ibérica. A cidadezinha encantou Van Gogh, e não pode faltar em um roteiro no sul da França.

A cidade não é porém a única na França a ter um anfiteatro, Nimes também é famosa pelas ruínas romanas, e até Paris ainda tem um, que é surpreendentemente pouco visitado, as Arènes de Lutèce.

 

10) Leptis Magna, Líbia: desde Cartago

Essa cidade cartaginense depois foi conquistada pelo romanos pelo seu enorme valor estratégico e chegou a ser uma das principais cidades romanas na África, como um grande entreposto comercial. Um Imperador Romano, Sétimo Severo, nasceu lá, e depois favoreceu muito a cidade, patrocinando enormes construções.

 

11) Bath, Inglaterra: fontes antigas e banhos modernos

Termas romanas Bath Inglaterra

É só ler um pouquinho sobre os romanos para ver como eles adoravam termas e banhos quentes – nessa lista aparecem vários. Na atual Inglaterra, os mais famosos foram construídos em fontes de água naturalmente quente.

Hoje a cidade ainda é famosa pelos banhos, com vários spas modernos, mas a atração mais famosa são as ruínas dos banhos antigos. Além disso, a cidade também é cheia de prédios de arquitetura georgiana, e é um dos melhores day-trips de Londres.

Veja mais: Bath: termas romanas e arquitetura na Inglaterra

 

12) Plovdiv, Bulgária: capital da cultura

A Bulgária pode não ser o primeiro país que vem na mente das pessoas quando pensamos no Império Romano, mas a cidade de Plovdiv tem um teatro romano do século 2 antes da nossa era que é absolutamente impressionante. Bônus para quem for em 2019, quando a cidade vai ser uma das Capitais Culturais da Europa, junto com Matera na Itália.

 

13) Palmira, Síria: patrimônio ameaçado

Esse lugar tem uma história recente muito triste. Um dos patrimônios culturais da Síria segundo a UNESCO, ele foi parcialmente destruído pelo ISIS durante a guerra atual. Provavelmente vão ser muitos anos de pacificação e restauração antes que a gente possa visitá-lo, mas vale a pena lembrar que ele existe e deve ser protegido.

 

14) El-Jam, Tunísia: cidade de anfiteatros

El-Jam abriga um dos maiores anfiteatros de Roma Antiga, que hoje parece um elefante ao lado da pequena cidade. Ele também abriga um museu com mosaicos e esculturas, e um festival de música clássica.

Do lado do prédio, ficam as ruínas de dois anfiteatros menores que o precederam na Tunísia.

 

15) Porta Nigra, Alemanha: antiga fronteira

Esse portão foi construído na cidade de Trier, na Alemanha, mas aparentemente nunca foi terminado. Durante séculos, ele foi convertido como igreja, até que Napoleão Bonaparte, de passagem, exigiu que ele fosse restaurado a como era na época romana.

 

16) Paphos, Chipre: a cidade de Afrodite

O Chipre tem várias áreas arqueológicas populares. Entre as que eu tenho muita vontade de visitar está Paphos, conhecida como o lugar de nascimento da deusa Afrodite, além de ter coleções de mosaicos famosas.

 

17) Timgad, Argelia: as ruínas mais impressionantes da África romana

A Argélia é outro país que tem ruínas impressionantes, mas nas quais você pode se ver quase sozinho. Uma deles é Timgad, conhecida como a “Pompéia da África”, uma ex-colônia militar onde você pode visitar 14 termas e ruínas de grandes casas com chão de mosaico.

 

18) Conimbriga, Portugal: a fronteira oeste do Império

Perto da cidade universitária de Coimbra, ficam essas ruínas, as maiores de Portugal. Conimbriga era uma cidade, por isso dá para ver ainda os mosaicos de casas luxuosas, inclusive a chamada “Casa das cem fontes”, onde algumas das fontes ainda estão em funcionamento.

 

19) Mérida, Espanha: o teatro enterrado

View this post on Instagram

•••••••••••••••••••••••••••• Loves_extremadura se complace en presentar una de las mejores fotos del día Templo de Diana ••••••••••••••••••••••••••• Autor: @jesus_maria_rueda Visita su galería!! Seleccionada por @cechto ••••••••••••••••••••••••••• Sigue a @LOVES_EXTREMADURA y etiqueta tus fotos con #loves_extremadura para poder formar parte de nuestra galería. Administrador/es @cechto @conniecloe @erikairun ••••••••••••••••••••••••••• Miembro de @loves_spain_team y @loves_spain ••••••••••••••••••••••••••• #igersextremadura #naturaleza_extremadura #estaes_extremadura#total_extremadura a

A post shared by LOVES_EXTREMADURA (@loves_extremadura) on

O teatro de Mérida foi enterrado por mais de mil anos, e na sua descoberta se tornou uma das áreas arqueológicas mais importantes do país. Como alguns outros na lista, ele ainda é usado em performances.

 

Como eu disse, esses são apenas alguns, mas tentei pegar vários países diferentes. E você, curte a história do Império Romano? Já visitou ou quer visitar alguma de suas ruínas, ou os prédios que ainda são usados? Conta para a gente nos comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s