Bloomsbury – o bairro literário de Londres

Da primeira vez em que fui a Londres, escolhi ficar em Bloomsbury. É o bairro do Museu Britânico, e tem uma reputação como um bairro literário, por causa de vários moradores ilustres como Charles Dickens e Virginia Woolf e por ser a sede da British Library e da UCL, a University College London. Também é onde ficam alguns dos museus mais curiosos de Londres.

O Museu Britânico dispensa apresentações, e já fiz um post sobre ele aqui. Ele tem artefatos do mundo inteiro, inclusive a Pedra de Rosetta, que permitiu a tradução de hieróglifos, os templos do Partenon e as peças de xadrez de Lewis, entre milhares de outros.

Museu britanico londres 2

Uma das peças mais famosas do museu é a Cariátide, a figura de uma mulher esculpida em uma coluna, servindo de apoio ao prédio. Elas foram a inspiração da igreja de St. Pancreas, também em Bloomsbury. Embaixo da igreja, fica a Galeria da Cripta, um espaço de exposições de arte.

Museu britanico londres cariatide

St. Pancreas igreja Londres Bloomsbury cariatides

Também já fiz um post sobre a British Library, que é a maior biblioteca do mundo. Eles têm uma exposição permanente com livros incríveis, como bíblias de Gutenberg, originais de Alice no País das Maravilhas, Nicholas Nickleby e Mrs. Dalloway e letras de músicas dos Beatles.

British Library Londres bibliotecas mais bonitas do mundo 3

Para terminar de falar dos lugares que já tiveram um post, é lá também que fica o Soane Museum, um gabinete de curiosidades moderno com mais de 30 mil objetos da Grécia antiga até o Renascimento. O arquiteto, ao fazer o Grand Tour e colecionar episódios de várias épocas, começou a planejar prédios pensando em como eles ficariam como ruínas.

public-and-private-buildings

Outro museu interessante é o Pollock toy museum. Ele fica em um predinho vitoriano, e é mais conhecido justamente pelos brinquedos desse período. O museu é dedicado aos teatros de brinquedo, e tem esse nome por causa de Benjamin Pollock, um dos últimos produtores de cenários para esses teatros. Alguns dos teatros em exposição são impressionantemente elaborados, com mecanismos no palco que parecem de teatros reais. Eles também têm uma lojinha em que vendem reproduções de brinquedos antigos.

Pollck toy museum Bloomsbury Londres teatros

Já a Wellcome Collection vem da coleção feita por um farmacêutico do século XIX, Henry Wellcome. Ele viajou o mundo juntando diferentes objetos usados na medicina em países diferentes. Em 1913, ele abriu o History Medical Museum, exibindo sua coleção. Ele incluía a recriação do workshop de um barbeiro-cirurgião e instrumentos de tortura usados nos insanos. Alguns dos itens são bem mais estranhos, como a escova de dentes de Napoleão. Como na maioria dos museus públicos de Londres, a entrada é gratuita.

Também aproveitei a visita para ir ao Museu de Charles Dickens. Ele fica na casa onde ele morou e onde escreveu Oliver Twist.

Bloomsbury é lotada de arquitetura vitoriana (além de georgiana e eduardiana, mas  já que estamos falando de Dickens, vamos nos concentrar na primeira). O vizinho Holborn também tem alguns lugares vitorianos muito bem preservados, como a Little Curiosity Shop, que inspirou o livro com o mesmo nome, e que hoje é um brechó especializado em sapatos. Perto de Trafalgar Square fica Goodwin’s Court, um beco que continua muito bem preservado de como era na época, e onde dá para ter um gostinho da Londres de Dickens.

Não existem museus dedicados a eles, infelizmente, mas em Bloomsbury também moravam os membros do Bloomsbury Group, o que não é surpresa, dado o nome. Faziam parte dele Virginia Woolf e sua irmã Vanessa Bell, uma pintora pós-impressionista, Clive Bell, crítico de arte, o escritor E. M. Forster, o crítico de arte Roger Frye, o pintor pós-impressionista Duncan Grant, o economista J. M. Keynes, o escritor Lytton Strachey, o jornalista Desmond MacCarthy,  e o ensaísta Leopold Woolf. Eles compartilhavam idéias sobre política, arte, e a rejeição dos valores burgueses da época. Eles foram também motivo de escândalo, já que dentro do grupo existiam alguns triângulos amorosos e figuras geométricas mais complexas e muitos deles se recusaram a lutar na primeira guerra.

blue plaque bloomsbury group

Placa em Gordon Square

Outros dos moradores ilustres são J.M. Barrie, o criador do Peter Pan, Charles Darwin, o poeta William Butler Yeats e alguns dos pre-Rafaelitas. Bloomsbury também é a sede da Bloomsbury Publishing, que publicou clássicos como Ondjaate e Margaret Atwood. O bairro também é cheio de livrarias e sebos, e realmente é um lugar super agradável para ratos de sebo.

Outro lugar interessante por lá é a Sicilian Avenue, uma rua fechada, com arcos na entrada, cheia de restaurantes italianos.

 Se você vai para Londres em outubro, não perca o Bloomsbury Festival, na Russell Square.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s