Praça Vermelha – visitando e procurando as melhores vistas para a atração mais famosa de Moscou

Falando de Moscou, não tem como não falar da Praça Vermelha. As cúpulas da Catedral de São Basílio dominam a imagem mental que temos da Rússia, e o Kremlin é o centro do poder político do país.
Originalmente ela era a divisão entre o Kremlin, a cidadela fortificada, e o bairro de mercadores de Kitai Gorod. Quando Ivan, o Terrível, construiu a Catedral de São Basílio, as pessoas começaram a chamar aquela parte da Praça de Praça Bonita. A palavra que eles usavam significava tanto bonita e vermelha, embora hoje seja usada quase exclusivamente no segundo significado. Então eventualmente ficou Praça Vermelha.

Ela foi o primeiro lugar que visitei em Moscou, a uma hora da manhã, quando ela estava fechada (vou falar mais sobre isso na parte sobre o Portão). Visitei várias vezes depois, algumas só para usar como atalho para não ter que dar a volta no Kremlin, mas continuou sempre impressionante.

Praça vermelha primeira vista noite

Portão da Ressurreição

Portão ressurreição praça vermelha moscou russia
O Portão (Воскресенские ворота) é o único que ainda existe em Kitai-Gorod, em Moscou. Ele foi reconstruído no século XVII com as torres para combinar com o resto da Praça.
Nele fica uma capelinha em que dá para ver as pessoas rezando, mas o maior interesse para mim é a vista mesmo, e a sensação de entrada imponente na Praça Vermelha.
Da primeira vez que vim aqui, ela estava fechada e achei que a Praça fechava à noite, mas vi que é meio aleatório, às vezes tá fechado, às vezes tá aberto, então não entre em pânico se você pegar assim. É até legal ver a Praça vazia lá de longe, a gradezinha subindo, as pessoas começando a entrar.

marco zero moscou
Bem em frente a ele fica o marco zero de todas as estradas da Rússia. As grandes ruas de Moscou foram construídas em grandes círculos tendo a Praça Vermelha como centro.

Existem várias formas de entrar na Praça, mas esse é o mais bonito.

Praça vermelha moscou
Outra entrada

Catedral de São Basílio

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 2
Agora um museu, ela foi construído como Catedral por Ivan, o Terrível, em 1555–61. Ela foi pensada para comemorar a captura de Kazan e Astrakhan. Embora seja hoje o nosso estereótipo de construção russa, ela foi a primeira a ser construída nesse estilo. O arquiteto queria que ela parecesse com uma fogueira, com a fumaça chegando aos céus.

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 11

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 10

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 9

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 3
O mais legal quando você tá visitando é ver que na verdade não é uma Catedral única, naquele estilo como estamos acostumados, mas que cada cúpula é uma igrejinha.
O prédio original continha nove igrejas, oito construídas em torno da nona, a principal.

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 8

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 7

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 6

Catedral de São Basílio Praça Vermelha Moscou 4
A décima foi construída em 1588 em cima do túmulo de São Basílio, e foi então que o complexo todo ficou conhecido com esse nome. Basílio era um iurodivi, um louco santo, alguém que na cultura russa age de forma aparentemente insensata, mas que é visto como clarividente. Ele andava pela cidade nu e coberto de correntes, e criticava mesmo o tsar, Ivan, o Terrível. Quando ele morreu, Ivan carregou o seu caixão até a igreja.

Catedral de são basilio estátuas de minin e pojarski praça vermelha moscou
Em frente à catedral ficam os monumentos a Minin e Pojarski, as únicas estátuas na Praça. Elas comemoram os dois príncipes que juntaram um exército para expulsar os poloneses que tinham tomado Moscou durante o Tempo das Dificuldades, a época de instabilidade depois da morte de Ivan IV.

Plataforma de Pedra

Lonoie mesto plataforma praça vermelha moscou
Do lado e entre a Catedral a GUM, fica o Lobnoye Mesto (Лобное место), uma plataforma de pedra usada pelos tsars para fazer discursos. É uma misconcepção comum achar que lá era lugar de execuções, que na verdade costumavam acontecer atrás da Catedral. Quando eu fui ver, tava cheio de moedinhas, que as pessoas continuavam jogando meio sem motivo.

Kremlin

Kremlin noite ponte Boris Nemtsov Moscou
Kremlin em russo significa fortaleza, então existem vários espalhados pela Rússia. Mas “o Kremlin”, o que é usado como metonímia para o governo, é o de Moscou.
Hoje ele ainda é onde funciona o senado e onde mora o presidente, por isso só uma parte está aberta para visitas, mas essa parte vale muito a pena. Podemos visitar as catedrais históricas e o Arsenal, mas vou falar mais disso em um post próprio.

Catedral de São Basílio com Kremlin à direita praça vermelha moscou

Mausoléu de Lenin

Essa é uma atração bem bizarra. Principalmente se considerarmos que Lenin queria ser enterrado do lado de sua mãe em Petersburgo, e que ele não queria que fizessem nenhuma estátua dele. No entanto, assim que ele morreu, começou com culto de personalidade, cuja imagem mais forte é justamente a do seu corpo mumificado.
Todo dia há filas para ver o corpo, e ainda há questionamentos se o corpo dele deveria ser enterrado. A experiência é bem estranha, com guardinhas a cada centímetro e obrigação de mostrar respeito, com proibição de falar ou colocar as mãos no bolso.
Ele fica aberto às terças, quartas, quintas e sábados, das 10:00 as 13:00 e a entrada é gratuita. Do lado fica um pequeno mausoléu onde estão enterrados outros soviéticos famosos, como Stálin e Gagárin.

Museu Estatal

museu estatal russo praça vermelha moscou
As árvores eram de uma feirinha de páscoa

O prédio do Museu Estatal foi construído no final do século XIX em estilo neo-Russo. O museu foi aberto pelo tsar Alexandre III, e tinha mosaicos falando dos tsars que foram cobertos na época soviética e depois restaurados. Cada sala tem o estilo de uma época ou região. O museu tem enormes coleções com objetos antigos, manuscritos, livros, moedas, etc. A Catedral de São Basílio e algumas outras igrejas também fazem parte.

GUM

Gum praça vermelha moscou
GUM era as iniciais de Государственный универсальный магазин, Loja Federal Universal. Durante a URSS, existiam várias lojas assim, e a mais famosa era essa, na Praça Vermelha. Depois da queda do comunismo, o nome mudou para Главный универсальный магазин, Loja Central Universal, o que permitiu manter a sigla. Não sou muito de viajar para comprar, e nas lojas chiques da GUM nem seria uma possibilidade, mas foi legal ver o famoso teto de vidro.
Também é famosa no último andar a Stolovaya 56, uma cantina em estilo soviético. Ela aparece nos guias como um lugar barato, mas é bom falar que ela é barata para um almoço na Praça Vermelha. Tem uma rede de restaurantes chamada Grabli que tem em todo lugar que é bem parecida, mais barata, e depois das 21, dá 50% de desconto.

Catedral de Kazan

Catedral de Kazan praça vermelha moscou
Essa Catedral foi construída para retomar a tomada de Moscou dos poloneses em 1612. Durante o comunismo, Stalin queria tirar as igrejas da Praça, mas seus assessores conseguiram salvar São Basílio. A Catedral de Kazan foi demolida porque ficava no caminho das paradas militares, e depois o lugar teve vários usos, inclusive como banheiro público. Depois da queda da URSS, ela foi reconstruída. Hoje podemos visitar com entrada gratuita, mas como ela ainda funciona como igreja, mulheres devem cobrir os joelhos, ombros e a cabeça.

Kremlin à noite com rio Moskva Moscou Russia

Ponte Boris Nemtsov Praça Vermelha Kremlin cristo salvador moscou

Depois de passar um dia na Praça Vermelha, um dos passeios mais interessantes é pelas pontes em volta, que tem vistas lindas para ela e para o Kremlin. A primeira é a Bolshoi Moskvoretski (Большой Москворецкий), mais conhecida por ativistas como Ponte Boris Nemtsov. Ele era um crítico do governo Putin, que levou quatro tiros andando por essa ponte apenas horas depois de conclamar a população a protestar a invasão da Criméia. Ativistas ainda ficam lá com fotos do político, pedindo por justiça.

Bolshoi Kameni Most grande ponte pedra moscou vista kremlin

Se você continuasse da saída do Kremlin, veria outra ponte, a Grande Ponte de Pedra (Большой Каменный мост).

Ponte do patriarca vista do Kremlin Moscou

Finalmente, tem a vista da Ponte do Patriarca (Патриарший Мост), a que fica em frente à Igreja do Cristo Salvador, da qual vamos em falar em breve em um post sobre o que aconteceu com as igrejas russas durante o comunismo. Se você chegou até aqui, e tá na hora do pôr-do-sol, como nas fotos acima, esse passeio combina com curtir a fábrica-transformada-em-centro-cultural em Outubro Vermelho, ou se é cedo, com o Parque Gorki e o Muzeon.

 

 

5 comentários

  1. jal49José António Lima

    Leio este à noite, pouco antes de me deitar.
    Há um livro de Lobo Antunes, “Esta noite sonhei com Babilónia”… Li parte.
    Quase de certeza . quem dera! – irei sonhar com Moscovo, guiado pela mão e escrita da Júlia.
    Sò sei que me sinto mais rico.
    Amanhã vou relê-lo, com mais calma, mais sabor. E isto dá-me razão: as partilhas das vidas, doutras vidas, acrescentam à nossa. Vivemos multiplas vidas, assim o queiremos.
    Obrigado, Júlia.

  2. Fernando Bretas

    Oi Julia, 7:00hrs. Bom dia aqui pra mim… Para vc deve ser boa tarde. Domingão dia de jogo do Brasil aí. Mais uma vez grande postagem… Vc fez o que a Globo ainda não conseguiu fazer com um exército de 126 jornalistas e um investimento de 30 milhões de reais para cobrir a copa: Mostar a Rússia e sua história, sem juízo de valor.
    Queria dar apenas uma sugestão: bom, na verdade seriam duas:
    1- Queria que vc falasse um pouco mais sobre as pessoas e sua impressão sobre elas. Temperamento, cultura, conhecimento, informação, relação do povo com o governo, o establischment, a máfia russa…
    2- Sei das dificuldades, mas as fotos ficaram muito distantes (acredito que por ser de celular). Digo das fotos das pontes. Talvez uma descrição mais geográfica desse pra gente visualizar melhor… Que rio é aquele? Ali é a cidade velha? Velha de quantos séculos? Como é a ocupação urbana? Obedece a lógica de ocupação capitalista? Centro abandonado, bairros ricos, periferia pobre ?

    1. Julia Boechat

      Oi, Fernando, tudo bom? Desculpa a demora, estou resolvendo tanta burocracia aqui no Brasil que está difícil ter tempo. Mas vou tentar mostrar mais sobre a Rússia e sua história, até porque é um tema pelo qual sou apaixonada. Vou tentar falar um pouco sobre as pessoas, especialmente em um post que planejei sobre o protesto anti-Putin em que fui.
      Quando ao rio, é o Moskva. Moscou toda é muito eclética, então é difícil falar de centro antigo. Ali, em Kitai Gorod, ficam a maioria das construções mais antigas de Moscou, mas também ficam construções que acabaram de ser inauguradas, como o parque Zariadie. A maioria das construções datam do século XIX, já que a cidade foi queimada quando Napoleão chegou, mas há alguns prédios medievais sobreviventes.

Deixe uma resposta