Vendo uma ópera na arena romana de Verona

Uma das melhores lembranças que eu tinha da minha primeira viagem para a Itália foi a de ver uma ópera em ruínas romanas, nas Termas de Caracalla. Dessa vez, quis repetir a dose na Arena de Verona, o terceiro maior anfiteatro construído pelo Império romano na Itália. Além disso, Verona é para mim uma das cidades mais lindas da Itália, e tinha vontade de voltar lá. Se quiser ler nosso post com dicas sobre Verona, é só clicar aqui.

Verona vendo ópera na arena 1
Chegando em Verona

A Arena foi construída em 30 EC, um pouco fora dos muros da cidade romana. Ele se tornou famoso na região, e muita gente vinha de outras cidades para ver o espetáculo. Depois a Arena passou por uma longa decadência, e chegou a virar basicamente um squat enorme durante a Idade Média. Durante o Renascimento, houve algumas performances de ópera para tentar reutilizar o lugar, mas isso só começou a ser feito com regularidade no século XX. Desde 1913, elas acontecem todos os verões, exceto pela primeira e segunda guerra, e foi assim que eu segui o caminho dos antigos romanos, vindo de outra cidade só para uma performance.

Verona vendo ópera na arena 2

Eu comprei o ingresso no site oficial, onde tinha bilhetes disponíveis por entre 20 euros (sentando direto na pedra) a 200 euros (os lugares logo em frente ao palco, na arena mesmo). Na verdade, acho que se você vai só uma vez, é bem legal ir nos lugares baratos, porque são os únicos direto na pedra. Não tem apoio para as costas e não é muito confortável, mas é uma arena romana, e fiquei emocionada e me sentindo tosca. Tive vários espetáculos para escolher, e a princípio pensei em Aída, que foi a primeira ópera a ser tocada lá no século XX, no aniversário de cem anos do nascimento de Verdi, e por isso é tocada todo ano. No entanto, tinha uma versão de Carmen que estava fazendo sucesso, porque eles reambientaram a ópera nos anos 30, na Espanha da queda da república e ascensão do fascismo. Amei a idéia, e foi a ópera que escolhi ver.

Verona vendo ópera na arena 3

No dia, vim com uma amiga de carro, e conseguimos passear um pouco e tomar um pouco de vinho antes do começo da ópera. Na verdade, acabamos perdendo um pouco a noção da hora e chegando lá em cima da hora, mas em três minutos já estávamos sentadas, apesar de os lugares baratos não serem marcados. Temos que tirar o chapéu para os romanos: cabem quinze mil pessoas dentro da arena, e todo mundo entra e sai em minutos, e dá para ver bem a arena de todos os lugares. 

Para falar um pouco das questões práticas, tem um bar vendendo algumas coisas lá dentro, como água, vinho e lanchinhos, mas, claro, é tudo caro. Também tem banheiros em uma estrutura do lado de fora da Arena. A ópera teve três intervalos de quinze minutos.

Verona vendo ópera na arena 4

Depois da ópera, eu voltei com minha amiga discutindo a ambientação nos anos 30. Achei fantástico, porque a obra tem muitos temas atuais – preconceito, feminicídio, que são chamados por outro nome porque ela tem mais de cem anos. A perseguição aos roma, quando em um ambiente dos anos 30, nos faz lembrar que nessa mesma época eles estavam sendo colocados em campos de concentração e sofrendo um genocídio. Colocá-la em outra época torna isso mais óbvio. E gostei de como isso mostra que a Arena é um lugar que não tem medo de inovar nas óperas. Então a experiência foi maravilhosa, e espero conseguir voltar para mais em breve.

Clique aqui para ler todos os posts sobre a Itália.

1 comentário

Deixe uma resposta