Assistindo a uma Ópera em uma ruína romana: noite nas Termas de Caracalla

Ir para Roma no verão não é fácil. A cidade fica quente demais, lotada demais. Eu me lembro da minha primeira vez lá, quando eu tinha vontade de pular no rio Tibre só para dar uma refrescada. Para compensar esses inconvenientes, a estação tem duas grandes vantagens: os dias longos e os festivais de verão. E, aproveitando as duas, tem um evento incrível só disponível no verão: ver uma ópera nas Termas de Caracalla.

Terme-di-Caracalla-ph-Kageyama Central Palc
Crédito: Yasuko Kageyama

As Termas de Caracalla são antigos banhos romanos, mas dizer isso explica pouco o que elas realmente eram. Para os antigos romanos, banhos não eram só um lugar de higiene, mas de socialização, de ser visto, de discutir política. Por isso, eles eram decorados com estátuas famosas, como o Touro Farnese, hoje no Museu Arqueológico de Nápoles.

Termas de Caracalla 3

Além disso, eles tinham uma biblioteca pública, dividida em duas salas: uma para textos em grego e outra para textos em latim.

Os banhos mesmos eram divididos em um frigidarium (sala fria), tepidarium (sala tépida) e caldarium (sala quente), assim como duas palestre (academias). Hoje, as ruínas do prédio podem ser visitadas em qualquer estação.

Termas de Caracalla 5

No verão, a parte central do prédio é usada para concertos. O lugar se tornou bem famoso depois de um concerto dos Três Tenores em 1990.

 

Quando eu estive lá, em 2011, a ópera era Tosca, do Puccini. A ação da ópera se passa em Roma mesmo, 211 anos antes. Grande parte da ação se passa no Palazzo Farnese, lá perto, outra parte se passa no Castelo Sant’Angelo. O contexto são as guerras napoleônicas, durante as quais a Itália foi invadida duas vezes. A ópera trata de amor, ciúmes e tragédia, e foi composta por Puccini depois que ele se emocionou vendo a Sarah Bernhardt na peça de mesmo nome.

La Boheme
Festival de Puccini nas Termas, 2015. Crédito: Luciano Romano

Ouvir Vissi d’Arte, “Eu vivi pela arte” nesse cenário espetacular, tornou essa ária ainda mais comovente. Ouvir “E lucevan le stelle”, “E brilhavam as estrelas” ao ar livre, enquanto as estrelas começavam a aparecer, foi simplesmente incrível.

É um evento tão único e tão maravilhoso que eu recomendo para qualquer um que está indo para Roma com mente aberta, mesmo se não é fã de ópera.

Clique aqui para ler todos os posts sobre a Itália.

Clique na imagem para ler todos os nossos posts sobre lugares do Império Romano

Asdistancias blog tag imperio romano

Deixe uma resposta