Como ir em uma manifestação anti-Putin mudou a imagem que eu tinha da Rússia

O dia já começou estranho, quando a polícia interfonou no nosso albergue e pediu que não deixássemos que os hóspedes chegassem perto das janelas. Quem tava de plantão no dia selou todas as janelas e varandas, e colocou avisos falando que não era para chegar perto. Parecia tão bizarro que fiz questão de ver o que estava acontecendo.

Foi assim que eu descobri que uma enorme manifestação anti-Putin estava se reunindo em frente ao prédio, na praça Pushkin. Eles estavam protestando sua quarta inauguração, acontecendo naquele abril. Eu estava trabalhando naquela manhã, então foi lá de cima que acompanhei as notícias da prisão de Aleksei Navalny, adversário de Putin, e 700 manifestantes. Ainda assim eu achei que seria uma ótima idéia passar lá para ver de perto o que estava acontecendo.

Protesto anti-Putin em Moscou de cima

Quando eu cheguei na praça, achei que os jornais estavam errados. Acampados do lado da estadia estava um grupo com bandeiras comunistas e faixas de São Jorge. As bandeiras tem um significado confuso, porque o Putin tem uma relação ambígua com o comunismo, mas a faixa foi apropriada pelos seus seguidores para significar apoio a ele.

Protesto anti-Putin em Moscou manifestantes a favor de Putin

Aí começaram os slogans, e vi que o pequeno número de manifestantes a favor de Putin estavam cercados. Os dois grupos gritavam um com outro, mas sem violência, e só isso achei bem legal. Pelo menos ninguém sentiu a necessidade de construir um muro entre os dois, como fizeram na praça dos Três Poderes.

Protesto anti-Putin em Moscou 3

Protesto anti-Putin em Moscou 9

O canto mais popular era “Ele não é nosso tsar”,  o que é bem interessante, porque o tsarismo é outra época com a qual ele tem uma relação bizarra. Ele gosta de se apresentar como o ungido da Igreja Ortodoxa e herdeiro dos grandes tsares, e trouxe muito dessa época de volta. Contei um pouco mais sobre essa relação no post sobre Tsaritysno, onde as autoridades locais terminaram um palácio começado por Catarina, a Grande, para se colocar como seus herdeiros.

Também ouvi:

“Abaixo o tsar”

“Putin ladrão”

“Tsar Putin na cadeia”

“Vergonha”, que eles cantavam toda vez que os policiais prendiam alguém.

“Rússia sem Putin”

“Putin Assassino”

“A cidade é nossa”

Protesto anti-Putin em Moscou 8

Protesto anti-Putin em Moscou 2

Antes de ir para a Rússia a gente ouve falar de como os russos são fanáticos pelo Putin. De como feminismo não é popular lá como em alguns outros países, e os papéis de gênero são mais fortes. São generalizações, é claro, e logo conheci gente que não era assim, principalmente nos albergues. Mas essa foi uma oportunidade de ver um milhão de pessoas que não se conformam as regras, que gritavam contra o governo e usavam camisetas de “The Future is Female”. Ouvir discursos sobre gente que quer um caminho novo para a Rússia, com liberdade de expressão, eleições livres e garantias democráticas.

Protesto anti-Putin em Moscou 4

Protesto anti-Putin em Moscou manifestantes sendo presos
O povo tentando fotografar os manifestantes presos

O protesto durou algumas horas. A polícia passava e tentava esvaziar a praça, sem resultado. Aí eles nos cercaram completamente e foram dando um passo de cada vez, deixando o nosso espaço a cada minuto menor. Só tinha um ponto de onde sair, então todo mundo começou a correr para lá, e nessa hora eu esbarrei em uma lâmpada e queimei um pouco a perna. O número de policiais fez com que fosse impossível voltar para a praça depois de ter saído, mas as pessoas continuavam gritando slogans dos boulevares vizinhos. Mas a polícia continuava passando e nos dispersando, e depois de um ponto ficou insustentável.

Protesto anti-Putin em Moscou 7

Protesto anti-Putin em Moscou 10

Protesto anti-Putin em Moscou 11

Já ouvi de muita gente que a democracia não faz parte do caráter russo, como se fosse uma propriedade mágica de alguns povos (me diz qual) e não algo arduamente conquistado e que deve ser arduamente mantido e renovado. Também me fez pensar como em todos os lugares o autoritarismo se liga com o machismo, com aqueles discursos de “os estrangeiros vão pegar nossas mulheres”, aquele papo babaca meio incel que acha que se ele não transa, é culpa de outro homem que competiu de forma injusta. Aliás, tudo que não deu certo é culpa de um outro que competiu de forma injusta. Tem hora que vejo tanto esses discursos, para todo lado, que dá preguiça.

Ver esses protestos me fez confirmar que na Rússia tem gente de todo jeito. Também me fez ter um pouco de fé que no Brasil, mesmo com todos os horrores que temos presenciado, não vamos deixar de ter gente protestando na praça. Às vezes até pessoas diferentes na mesma praça.

Protesto anti-Putin em Moscou 1

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s