Machu Picchu: três visitas em uma

A minha visita de Machu Picchu acabou sendo várias viagens em uma. Eu entrei no Parque às 6 horas da manhã, logo que abriu, e visitei Machu Picchu coberta de névoa, em que mal dava para enxergar alguns passos à frente, com pouca gente. Muitas vezes eu ficava mais quinze minutos sem ver ninguém, e poucas vezes passei por grupos com guia, que sempre estragam o clima de uma viagem assim. Eu pude ver as ruínas com calma, e com a impressão que eu tinha o lugar todo para mim.

 

                       Para mim e para as llamas.

Machu Picchu janelas
As janelas típicas da arquitetura inca

Eu não quis contratar um guia para Machu Picchu. Sei que muita gente recomenda, para entender o que você vê, mas ninguém sabe ao certo o que a cidade era, nem mesmo historiadores que dedicam a vida a isso, e muito menos um guia. Achei muito melhor ler livros sobre o assunto e fazer a viagem do meu jeito. Lá, eu vi grupos passando por mim, e achei a maioria muito apressadinha. Gosto de ter momentos sozinha, para descobrir lugares, aproveitar o clima.

Névoa templo três janelas machu picchu

Machu Picchu teia de aranha

Vista para cima de dentro de uma casa Machu Picchu

A primeira visita foi boa para isso. Pude fazer todo o caminho para baixo, e depois começar a subir para a saída quando o tempo estava abrindo.

Névoa se dissipando de Machu Picchu 2

Névoa se dissipando em Machu Picchu

Machu Picchu névoa se dissipando

Eu tinha ficado na dúvida se valia a pena subir Huayna Picchu ou a Montanha Machu Picchu, mas decidi que não valia a pena para mim porque não gosto muito de trilhas, a não ser que levem a um lugar super interessante, ou à melhor vista, e como estava chovendo muito, achei que as trilhas estariam muito escorregadias de manhã, o único horário em que se pode subir. Foi a melhor decisão para mim, já que realmente o Parque todo estava um pouco escorregadio, mas algumas pessoas que conheci que gostam muito de trilhas curtiram o passeio.

Vista para cima Machu Picchu

Eu saí do parque para usar o banheiro e entrei novamente às 10 da manhã, quando o parque estava lotado. O tempo estava mais aberto, então subi para tirar a foto clássica, mas o número de pessoas por lá me incomodou bastante. Fiquei pensando que a época chuvosa pode ser um pouco inconveniente, mas se o parque fica mais cheio do que estava quando eu estava lá, então ainda bem que escolhi essa época.

Machu Picchu vista clássica 4
A vista clássica de Machu Picchu
Machu Picchu vista clássica 2
A multidão tirando a foto clássica

Aproveitei essa hora para ir ao Templo do Sol e à Ponte Inca, duas pequenas trilhas fora do radar da maioria das pessoas, em que tive um pouco de tranquilidade.

O Templo do Sol foi o primeiro, e é um dos monumentos arqueológicos mais importantes de Machu Picchu, e supostamente uma das principais entradas para a cidade. Ele fica a aproximadamente 1,5 quilômetro da cidadela, e 300 metros acima. A trilha é bem fácil, mesmo se você vai parar o tempo todo para tirar fotos, e a vista para Machu Picchu é ótima.

 

Machu Picchu trilha para o Templo do Sol 3

 

Machu Picchu templo do sol 2
Templo do Sol
Machu Picchu vista do templo do sol
Vista para a cidadela do Templo do Sol

Depois fui para a Ponte Inca, outra trilha curta, mas menos segura, já que você tem que se registrar na entrada para fazer. Você não pode atravessar a ponte, o que seria perigoso, mas apenas vê-la de perto. Eu achei que valeu a pena, e de qualquer jeito é uma trilha bem curtinha.

Machu Picchu caminho para o Templo do Sol 5

Machu Picchu Ponte Inca 2
A Ponte Inca

Entrei novamente às 14 horas, quando quem vem de Cusco vai embora. Ainda peguei um pouco de sol antes da volta da chuva e da névoa.

 

Machu Picchu com sol 3

Nessa hora, tive uma boa surpresa. Eu estava conversando com um cara americano do meu albergue que encontrei lá quando um homem nos abordou, falando em espanhol. Ele disse que a câmara em que estávamos ainda era muito importante para quem seguia os costumes ancestrais, e que ele queria dividir o momento com a gente. Ele nos mostrou lugares onde sacrifícios ainda são feitos (folhas de coca, bebidas alcóolicas ou mesmo um pouco de sangue, quando a pessoa faz um corte na mão). Então ele nos entregou algumas folhas de coca, e nos disse para soprar nelas e sentir  gratidão por estar ali, e depois deixá-las na janela. Depois ele nos agradeceu muito por participarmos do ritual, e foi embora. No primeiro momento eu tinha ficado apreensiva de que fosse alguma coisa chata pega-turista e que ele pediria dinheiro, mas quando entendi que ele realmente só queria nos mostrar a sua tradição, eu realmente fiquei grata pela generosidade dele. Foi um momento que me fez pensar como a gente foca no que Machu Picchu foi, na engenhosidade dos Incas, e esquece do papel religioso e cultural que a cidade ainda tem para quem é de lá.

Pedra torta Machu Picchu

Machu Picchu perto da saída 2

Machu Picchu com névoa 6

Machu Picchu perto da saída 1

Leia aqui nosso post com as dicas práticas para visitar Machu Picchu, inclusive o que mudou com as novas regras em julho.

3 comentários

  1. Clarice

    Adorei sua experiência com o cara, muito legal!
    Morri de inveja que você ficou lá o dia todo. Sempre sonhei em ir, comprei passagem para outubro e só vou poder ficar de manhã porque mudaram. Mas acho que manhã vai ser melhor porque o povo de Cusco vai chegar de tarde.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s