Stintino e La Pelosa – passeio em uma das praias mais paradisíacas da Sardegna

Quando eu comecei a procurar informações sobre a Sardegna, um dos primeiros lugares que me interessou foi o Stintino. A península é uma das praias mais famosas da Itália, com mar transparente, uma fortaleza medieval em uma ilha, e areia branquíssima. 

A praia mais famosa do Stintino é La Pelosa. Quando eu fui, em setembro de 2020, precisava reservar um lugar antes de ir, e eu reservei pelo site duas semanas antes. Chegando lá, você tem que levar a reserva para pegar uma pulseirinha, e respeitar várias regras por estar em uma área de preservação: é proibido fumar, é proibido pegar areia ou catar conchas, é obrigatório usar uma esteirinha de madeira debaixo da sua canga (eles vendem por cinco euros no ufficio turistico), é obrigatório lavar os pés quando você está saindo da praia. É que a areia das praias da Sardegna é protegida por lei, e na Pelosa chega a um ponto que a gente brincava que eles devem filtrar a água em que a gente lava o pé para pegar a areia de volta.

Nós chegamos em La Pelosa com o ônibus vindo de Alghero, a uma hora de distância. A gente pegou o primeiro, às nove, e a praia já estava bem cheia quando chegamos. Fomos continuando, tentando achar uma mais vazia, e acabamos em Forrazzu, e sentamos nas pedras onde tinha sombra. Depois, quando tinha um pouco menos gente, também aproveitamos as areias brancas na Pelosa (munidas das esteirinhas para as cangas, como um fiscal veio conferir). Mas isso é legal em La Pelosa: dá para ficar nas pedras, na areia, ou até em partes com grama, ficar em lugares organizados pagando, ou na praia livre com sua canga e esteira.

De lá, a gente estava bem perto da Isola Piana, a ilha onde fica a Torre della Pelosa, uma estrutura fortificada medieval. Vi dezenas dessas torres nas costas da Sardegna, mas nenhuma tão fotogênica como essa. E é tão perto que dá para ir para a ilha andando – o caminho direto também é bem raso. Mas essa parte é uma praia de pedras, então é o melhor para quem tem os sapatinhos de praias de pedras. 

A ilha mesma é pequena, dá facilmente para dar uma volta, ver a fortaleza de perto – mas não tem como entrar – e ver a vista para La Pelosa.

Outra ilha enorme fica no fundo do panorama, e é a Isola dell’Asinara. Ela é um espaço de preservação, hoje conhecido como Parco Nazionale dell’Asinara. Existem muitos passeios de barcos que vão até lá, geralmente com uma pegada de ecoturismo, mas, como eu e minha amiga estávamos em La Pelosa só pelo dia, não nos interessamos.

A gente voltou para Alghero no último ônibus, e foi só uma pena que ele era cedo, às 18:30, teria continuado lá por horas ainda. Vale a pena ficar lá por mais de um dia, embora não seja longe de Alghero e tenha sido um bate-e-volta tranquilo. Mas é um lugar realmente espetacular e foi um passeio que eu recomendo muito no Sardegna.

Clique na imagem para ler mais posts sobre a Itália.

Deixe uma resposta