10 Ballets icônicos para assistir na Rússia (que não são o Lago dos Cisnes)

A Rússia é considerada o melhor lugar para ver um ballet no mundo. É que quando na maior parte do mundo o ballet ainda era considerado aquilo que acontece brevemente durante uma ópera, na Rússia ele já era respeitado como uma forma de arte. O corpo de baile do imperador era rigorosamente treinado, respeitado e bem pago. Anos depois, durante a Revolução, quando a situação se deteriorou para eles, o empresário Diaghilev levou um grupo de bailarinos que ele chamou de Ballets Russes em tour pela Europa. Eles se apresentavam com música de Stravinski e Prokofiev, cenários de Matisse, Kandinski e Picasso e fantasias de Coco Chanel. Eles revigoraram tanto a arte que até hoje são conhecidos como a companhia de ballet mais importante do século XX, e tornaram o ballet russo famoso no mundo inteiro. 

E com toda essa tradição revolucionária, a gente só ouve falar do Lago dos Cisnes? Nada contra quem sempre sonhou em vê-lo ao vivo, mas me cansa ver teatros de Petersburgo que o colocam no programa todos os dias pelo verão inteiro, porque todos os turistas querem ver justamente esse. Então aqui estão mais opções para quem busca algo diferente.

 

  • O Quebra-Nozes

Ainda ficando nos famosos: o Quebra-Nozes tem música de Tchaikovski, coreografia de Petipa, um dos mestres mais famosos da história do Ballet, e é super tradicional na época perto do natal.

  • Dom Quixote

Outra coreografia de Petipa, Dom Quixote tem música de Ludwig Minkus e é considerado um dos ballets mais amados na Rússia, por isso está frequentemente incluído nos repertórios.

 

  • A Bela Adormecida

A primeira colaboração de Tchaikovski e Petipa, e que é chamada de uma enciclopédia de dança clássica. Petipa já tinha idéias para a coreografia antes mesmo que Tchaikovski começasse a compor, e desenhou os cenários para inspirá-lo. Petipa já coreografava ballets há trinta anos, e com esse conseguiu mostrar que ainda era capaz de ser criativo e reinventar o gênero.

 

  • Giselle

Outro ballet de Petipa, Giselle foi criado para Anna Pavlova, uma das bailarinas mais famosas da história. A versão deles é um clássico, e até hoje torna Giselle um dos papéis dos sonhos para a maioria das bailarinas russas.

 

  • La Bayadère

Até hoje, esse é um dos ballets mais complicados para colocar no palco. Só a famosa cena das Sombras precisa de trinta e dois bailarinos excelentes no palco! Mas ela é considerada a obra prima de Petipa, com música de Ludwig Minkus, e por isso foi a que eu escolhi ver no Bolshoi. Enquanto O Lago dos Cisnes foi alterado por dezenas de coreógrafos que vieram depois, La Bayadère geralmente é apresentada quase como era na época de Petipa.

 

  • Spartacus

Com música de Aram Khatchaturian e coreografia de Leonid Yakobson, ele conta a história do escravo romano que liderou uma rebelião. Yakobson foi considerado um dos grandes inovadores no ballet no século XX, e dizem que ele criou a dança dos romanos se inspirando nos vasos antigos do Hermitage. Até hoje esse é um dos ballets mais frequentemente em cartaz na Rússia.

 

  • A sagração da primavera

Eu falei dos ballets russes, que foram apresentados em Paris e fizeram a fama desse tipo de arte, e esse era um dos principais. Ele é uma versão mais avant-garde do que a maioria da lista, com música de Stravinski, e foi inicialmente tão mal recebido que durante a première o público jogou tudo que tinha as mãos na orquestra. A coreografia original de Nijisnki foi chamada de bárbara. Precisa de mais motivo para parecer irresistível, ou é uma coisa minha mesmo?

 

  • Pássaro de fogo

Outros dos ballets apresentados nos ballets russes, Pássaro de Fogo tem música de Stravinsky e coreografia de Michel Fokine. Na época, a obra já foi reconhecida por seu gênio, e ainda é imperdível.

 

  • Sheherazade

Sheherazade apareceu um pouco depois de Lago dos Cisnes e de Bela Adormecida, conhecidas pela técnica impecável. E a coreografia de Fokine, ao sim de música de Rimsky-Korsakov, faz juz, e mostra a técnica dos bailarinos. Mas ela ficou ainda mais conhecida pela sensualidade. Na época, os idealizadores colocaram no palco Nijinski, o bailarino mais famoso de sua época, todo vestido de dourado, seduzindo a esposa do sultão, e nada menos que uma cena de orgia no palco. A sensualidade que ele trouxe marcou a época, e causou uma moda de orientalismo em Paris.

 

  • Cinderela

Cinderela é uma das histórias mais contadas de todos os tempos – juro que todo ano aparece uma adaptação nova. E mais de uma já foi planejada para o ballet, mas a versão icônica do ballet russo é a de Prokofiev nos anos 40, com coreografia de Aleksei Ratmanski.

 

Não deixe de ver um ballet na Rússia. Se quiser, tem ainda o post sobre a minha ida ao Bolshoi, em que conto como comprar o ingresso para estudantes.

Deixe uma resposta