Visitando igrejas e museus nos Sassi de Matera

Saiu aqui um post sobre a história de Matera, a cidade no sul da Itália que é uma das mais antigas do mundo, habitada a cerca de dez mil anos, e como ela foi vista como vergonha nacional no século passado, e o caminho tortuoso até ser reconhecida como patrimônio da humanidade e apreciada.

Matera sul itália vista com rio

Hoje o post foca nos lugares interessantes que visitei por lá. O meu albergue, o Ostello dei Sassi, ficava em uma caverna no Sasso Barisano, a parte da cidade composta de cavernas escavadas ou casas construídas com pedras tiradas das cavernas, a maioria “novas”, ou seja, com no máximo quinhentos anos de idade. Continuei descendo até chegar no Sasso Cavernoso, a parte mais antiga da cidade, onde a maioria das cavernas foram escavadas para aumentar grutas naturais.

Matera sul itália descendo para os sassi

 

Matera sul itália ruas 2

Matera sul itália casas com varal

Os primeiros lugares sobre os quais eu ouvi falar foram as Igrejas Rupestres, ou seja, em cavernas escavadas na rocha. Quando Matera foi abandonada nos anos 60, elas também foram, deixadas sem ninguém para cuidar de seu patrimônio. Algumas foram saqueadas, outras desabaram ou ainda correm risco. A Chiesa di San Pietro Barisano tem um altar que falta, San Nicola dei Greci estava sob reformas, Santa Maria d’Idris tem vários afrescos que se perderam, em Santa Lucia alle Malve a gente vê contornos de obras roubadas. Em todos os momentos eles nos lembram do que Matera passou. No entanto, elas ainda são muito ricas e a visita vale a pena. Em Santa Lucia alle Malve, por exemplo, uma das imagens preservadas é uma rara Madonna amamentando. Foi o que mais curti em Matera, a ronda pelas igrejas rupestres.

Matera sul itália igrejas rupestres cavernas

Matera sul itália igreja em ruínas
Como na maioria das igrejas rupestres não pode tirar foto, deixo essa foto de uma abandonada

No meio dos sassi, tem só uma igreja que não foi escavada na rocha, San Pietro Caveoso. Ela foi construída no século XIII, e também é interessante pelo contraste, ela à beira do precipício e cercada por um morro, Santa Maria d’Idris lá em cima.

Matera sul itália san pietro cavernoso e santa maria d'idris

Continuando a andar pelos sassi, visitei a reconstrução da casa onde uma família de onze vivia, o Casa-Grotta di Vico Solitario. Assim que você entra, uma gravação de um dos membros da família conta as lembranças dele sobre viver lá, como eles dividiam a casa com os animais, o que comiam, o sistema que eles tinham inventado para ter água corrente nas casas, e até como eles dispunham do esgoto – nada era desperdiçado. Uma das partes mais interessantes foi sobre o pão, já que o pão de Matera é famoso na Itália toda. Cada família fazia o seu e eles os levavam em grandes fornos comunais. Por isso, cada família tinha um carimbo que marcava seu pão – e hoje eles ainda são souvenirs populares para comprar lá. Com o mesmo ingresso, dá para visitar as cavernas do lado, que mostram uma geladeira natural escavada na rocha, que eles cobriam com neve no inverno, e que permanecia assim por meses, e um filme sobre a história da cidade.

Matera italia casa vico solitario sasso caveoso

Andando pelos sassi, a gente vê lugares que foram transformados em hotéis, restaurantes, cafés, lojas vendendo produtos típicos. Provar a comida de Matera também é parte da renascença da cidade, já que por muito tempo ela teve má fama como uma “cozinha pobre”, sem acesso aos ingredientes nobres de outras regiões. O que era usar resto agora é sustentável, e ela tá lentamente sendo valorizada de novo. O blog já teve um post até com os pratos típicos para provar por lá.

Matera sul itália restaurante

Depois de andar pelos Sassi, fui em um dos bairros mais novos, a Civita. Ele foi construído no alto da colina que separa o Sasso Barisano e o Caveoso. Muitos dos prédios foram construído por famílias ricas, quando os sassi começavam a se degradar e serem associados à pobreza, e parece outras cidades italianas, com igrejas barrocas e palácios da nobreza. Por ser no alto, também é um lugar conhecido pela vista para os Sassi.

Matera sul itália vista noite 2

Matera sul itália visto alto

Matera sul itália vista de noite

O prédio mais famoso é o Duomo, construído no século XIII em estilo pugliese-romanesco. Ele acabou de reabrir depois de reformas e podemos ver novamente as capelas e afrescos.

Matera sul itália duomo

Continuando na parte mais moderna da cidade, outro lugar famoso que também estava em reformas foi o Palombaro Lungo, um sistema de cisternas que alimentava a cidade até pouquíssimo tempo atrás. Mais um motivo para voltar para Matera.

Felizmente, outros lugares interessantes estavam abertos, como a Chiesa di San Giovanni Battista. Foi uma das minhas preferidas na cidade por causa da mistura de estilos, oficialmente românica mas com influências árabes, gregas e góticas.

 

Matera sul itália igreja san giovanni battista

Matera sul itália igreja san giovanni battista 3

O Palazzo Lanfranchi, cercado por algumas das melhores vistas dos Sassi, hoje funciona como o Museo Nazionale d’Arte Medievale e Antica. Quando eu estava em Matera, uma parte da coleção estava aberta para visitar gratuitamente, e era justamente a coleção de pinturas de Carlo Levi, o escritor que foi exilado na região durante o fascismo e escreveu o clássico sobre a vida por lá Cristo Parou em Eboli. A mais famosa se chama Lucania 61.

Matera sul itália palazzo lanfranchi

Subindo uma colina do centro, eu e algumas pessoas do albergue visitamos o Castello Tramontano, um castelo não terminado, feito por um conde impopular que foi assassinado por seus súditos. Os habitantes de Matera já tinham pago diversas vezes uma taxa ao rei para serem considerados uma cidade independente, sem serem submetidos aos caprichos de um nobre. E foi depois disso que o rei mandou o Conde Tramontano, que logo começou a cobrar impostos absurdos para construir um castelo. No albergue, ele tinha sido recomendado como um bom lugar para ver o pôr-do-sol, mas na verdade não tem uma vista muito boa por causa dos prédios em volta. De qualquer jeito, valeu pela história.

Matera sul itália castelo tramontano

Mais um número absurdo de fotos do centro, porque eu nunca consigo resistir.

Matera sul itália zigzag casas

Matera sul itália vista 2

Matera sul itália torre ruínas

Matera sul itália ruas noite 2

Matera sul itália ruas noite

Matera sul itália ruas

Matera sul itália rua rosa

Matera sul itália rua com arcos

Matera sul itália propriedade privada

Matera sul itália palacio nos sassi

Matera sul itália igreja detalhes

Matera sul itália cavernas noite

Matera sul itália caverna abandonada
A gente ainda  acha muitas cavernas abandonadas e em mal estado

Matera sul itália arte

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s