Viajando sem despachar: a temida viagem para climas diferentes

A maioria das pessoas já me olha como se eu fosse louca quando eu falo que vou viajar só com uma mochilinha de escola. Se falar que vou pegar mudanças de temperatura enormes na mesma viagem então, eles acham que não tem como. Esse foi o caso da minha viagem para o Peru. Em quinze dias, eu peguei desde 5 graus com chuva perto de Cusco a 35 graus de sol escaldante em Huacachina, com basicamente tudo no meio.

Viajar sem despachar climas diferentes

O que eu levei, contando o que foi no corpo:

 

Roupas:

2 calças

1 short

5 camisas de manga curta

2 camisas de manga comprida, ambas boas para frio ou meia-estação

1 vestido

1 maiô

1 casaco grande

1 peshtemal

4 sutiãs

7 calcinhas

4 pares de meias

 

1 par de tênis de cano médio (que foi o que foi no corpo, pelo volume)

1 par de sapatilhas

1 par de chinelos

 

Eletrônicos

Celular + carregador

Tablet + carregador

Ebook Reader Kobo + carregador

 

Nécessaire para os líquidos, em recipientes pequenos para viagem

Shampoo

Condicionador

Produto para as lentes de contato e 2 lentes reservas

Sabonete facial

Pasta de dente

Desodorante

Manteiga de cacau

Colírio pequeno

Hidratante

Protetor solar

1 bepantol

 

Resto da nécessaire

Um pedaço de sabonete em um ziplock pequeno

Pente dobrável

Toalha de viagem, no estilo toalha molhada

1 cartela de advil

1 cartela de anti-alérgico

1 cartela de remédios para diarréia

 

Acessórios:

Óculos escuros

Bloquinho e caneta

Swiss key – canivete em formato de chave

Almofada de pescoço

Dois cadeados TSA

Sombrinha dobrável

Uma bolsa

Viajar sem despachar frio andes peru
Pegando frio em Cusco

Acho que foi a mala ideal para essa viagem. No máximo teria substituído o casaco que levei por um impermeável, mas acho que tudo serviu bem ao seu propósito e quase tudo foi usado mais de uma vez. Como foi uma viagem curta, só lavei roupas íntimas, que lavo no chuveiro mesmo. Mas se fosse uma viagem maior, eu poderia levar as mesmas roupas, lavá-las e usar de novo.

Os cosméticos todos duraram o tempo certinho da viagem, mas se a viagem fosse maior, eu compraria mais cosméticos em tamanho para viagens quando os meus acabassem. Ou teria investido em levar o que pudesse em versão sólida.

Calça jeans é algo polêmico entre mochileiros, muita gente fala que elas são duras, pesadas e demoram demais para secar. Eu acho que é uma visão um pouco antiquada, e as calças mais modernas não são assim. Se eu estivesse indo apenas para lugares com temperaturas altas, não teria levado, e se a maioria do tempo fosse em clima quente teria levado uma, mas nesse caso foi bom.

Quanto às blusas, o principal a considerar se você quer usá-las em temperaturas diferentes são os tecidos. Linho, seda e lã merino são exemplos de tecidos que são ótimos quando está quente e para a primeira camada quando está frio. Muita gente evita linho e seda porque amassam muito, mas são tecidos muito resistentes, duráveis, leves, ecológicos. Uso amassado mesmo e finjo que elas são assim.

O número de sapatos também foi ótimo. O tênis foi fundamental para as trilhas, os chinelos para tomar banho no albergue, e a sapatilha para o calor e para quando o tênis estava encharcado.

Foi a primeira vez que eu sabia que ia para lugares com climas muito diferentes (teve 5 graus no verão em Sarajevo entre o calorão da Croácia e o calorão de Montenegro, mas isso foi de surpresa mesmo). Então precisei planejar um pouco mais ao invés de ir direto nos esquemas de mala que já estão salvos na minha cabeça. Mas no final, tudo deu certo e me provou mais uma vez que mala grande quase nunca é necessária.

Viajar sem despachar deserto
No calor do deserto de Huacachina

2 comentários

  1. Camila Navarro

    Pra ser sincera, adoro montar mala com esses desafios! Já passei 3 semanas no Sudeste Asiático (calor infernal!) com paradas em Istambul no inverno com uns 6 kg de bagagem e sobrevivi. No último dia em Istambul tive que vestir praticamente todas as minhas roupas, mas tínhamos até feito umas compras em Kuala Lumpur que ajudaram. Possível sempre é!

    Curtir

    1. Julia Boechat

      Eu lembro de ler sobre essa viagem 😱. Camila, você também é nível master packer, hahaha.
      Eu acho viajar sem despachar bem melhor, mas tenho dificuldade com algumas combinações, e achei que essa não foi fácil. Fui também só com uma mochilinha de escola, mas agora comprei uma 35L que acho que vai ser uma mão na roda.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s