Davit Gareja, desventuras em um monastério fechado

A visita para Davit Gareja começou mal, mas eu ainda tinha a esperança que ia ser um daqueles casos em que o lugar compensa todas as dificuldades. Aqui no blog já contei várias histórias assim. Mas na verdade, acabou sendo péssimo, aquelas desventuras de viagem que, quando você pensa, deu todos os sinais de que ia dar errado, e você não quis ver.

Davit Gareja georgia chegada

Davit Gareja georgia montanhas rosas

Davit Gareja é um monastério construído em cavernas na Geórgia, próximo à fronteira com o Azerbaijão. 

O problema é que escaramuças entre a Geórgia e o Azerbaijão fecham o monastério, e eu tinha ouvido falar que era o caso quando eu estava lá. Eu perguntei em alguns lugares, inclusive na companhia que organiza uma van para lá, e todo mundo me assegurou que dava para visitar a maior parte do monastério.

Davit Gareja georgia igreja aberta
A única parte do monastério que estava aberta

O transporte para lá também é bem difícil. Davit Gareja fica na meio do nada, então as opções são pegar um tour, um táxi, um ônibus + um táxi mais perto para baratear um pouco, ou a única van que sai de Tbilisi para lá, mas que sai às 11 da manhã. A perspectiva não era boa, já que isso significava que a gente ia chegar em um lugar árido na parte mais quente do dia. Piorou depois que eu comprei o bilhete (30 Lari, mais caro que um trem para a Armênia) e vi que na volta a gente ia parar em um restaurante por uma hora. Pelo menos eles diziam que não importa a hora em que chegássemos, a gente teria pelo menos duas horas e meia no monastério.

Saímos de Tbilisi com dez minutos de atraso, e logo o motorista parou em um posto de gasolina para que quem quisesse pudesse comprar água. Ele ficou lá por vinte minutos, quando todo mundo já tinha comprado o que queria em dez. Depois ele parou de novo, em uma tendinha onde quem quisesse pudesse comprar mais água, por mais quinze minutos. Finalmente chegamos em Davit Gareja às 2:40, bem mais tarde que as 2:30-3 horas de viagem que eles tinham anunciado, e o motorista disse que sairíamos às 4:30. Eu tentei discutir que eles nos tinham prometido 2 horas e meia lá, mas o motorista disse que não tinha nenhuma possibilidade de ficar mais tempo lá e para eu falar com ele em uma hora se eu queria ficar lá mais. Achei que ele tava falando por causa do calor, e fui visitar um monastério.

Davit Gareja georgia torre
Chegando no monastério

Os próximos sinais que não ia dar certo foi que não tinha ninguém para vender ingressos e as pessoas estavam entrando direto no monastério, e que não havia guias nos lugares marcados. Mas eu comecei o passeio, visitei o monastério “de baixo”, a Lavra, e comecei a trilha para o de cima, Udabno, que é a parte famosa, as cavernas com afrescos. Tinha soldados do Azerbaijão para todo lado, mas no Lonely Planet tinham dito que isso era normal. Comecei a subir, e um deles disse que Udabno estava fechado. O início do passeio foi basicamente todo mundo da van crente que isso significava que o caminho tava fechado e tentando achar outra trilha até a gente entender que tudo estava fechado. E isso levou meia hora. Depois a maioria do povo ainda ficou andando por meia hora tentando descobrir algo no lugar que fizesse a viagem valer a pena, e depois se resignou e sentou na sombra esperando a hora de ir embora. Tinha gente lendo, gente vendo Netflix. Alguns tentaram chegar lá de qualquer jeito, com risco de serem apreendidos pela polícia do Azerbaijão, e dois franceses chegaram bem perto dos monastérios para dizer que eles estavam fechados mesmo e não dava nem para espiar dentro. Ninguém conseguia acreditar que vários de nós tínhamos perguntado, eles tinham mentido e nos levado para uma zona desértica na hora mais quente do dia sem poder visitar o que queríamos.

Davit Gareja georgia vista para as cavernas

Davit Gareja georgia vista de cima 2

Davit Gareja georgia pintura em uma caverna

E depois ela ainda tiveram a pachorra de parar por uma hora no restaurante armadilha de turistas. Muita gente entrou, e depois reclamaram que era caro e a comida nem era boa. Eu nem entrei, em parte porque não eram nem seis horas da tarde quando paramos para o jantar.

Ouvi falar que muitas pessoas não te dão uma resposta exata por vergonha, elas não querem admitir que um exército estrangeiro simplesmente ocupou um dos pontos turísticos mais famosos do país deles. Mas é bem pior descobrir lá na porta. Então, essa foi minha desventura. Se você quer ir para Davit Gareja, não deixe de conferir no Trip Advisor se o lugar está realmente aberto, ou pelo menos vá sabendo.

Clique aqui para ler todos os posts sobre a Geórgia.

blog asdistancias destinos Georgia

Deixe uma resposta