Séculos de história desenterrados na hora de consertar um banheiro – a história do Museu Faggiano

No ano 2000, Luciano Faggiano resolveu abrir uma tratoria na casa de sua família em Lecce. Para isso ele precisava consertar o encanamento do banheiro, o que ele pensou que ele e os filhos conseguiriam fazer em uma semana. Mas achar a fonte do encanamento foi mais complicado que ele imaginava, e o trabalho se estendeu. No caminho, eles encontraram túmulos da época dos Messapianos, a civilização antes dos romanos, uma capela franciscana e grafites deixados pelos templários.

À esquerda os grafites deixados pelos templários, à direita um capitel

A história por si não é tão estranha na Itália. Toda vez que eles tentam fazer uma estação nova para o metrô de Roma, eles encontram ruínas antigas e tem que parar tudo. O país todo foi construído sobre camadas e camadas de história. Mas a quantidade e a diversidade dos objetos aqui é tão grande que mesmo na Itália ele chama atenção.

Lecce Puglia museu Faggiano capela franciscana

Quando os Faggiano começaram a achar câmaras e túneis debaixo da casa, amarraram o filho mais novo Davide, de doze anos, em uma corda e o baixaram para que ele explorasse e contasse o que estava lá. Não sei o que ele contava, mas definitivamente eles não perceberam que ele estava na câmara onde freiras costumavam embalsamar corpos. Os vizinhos suspeitaram de tanta movimentação e chamaram a polícia, que começou a investigar a família por ter uma área arqueológica ilegal. A procura pelos canos teve que parar por um ano, até que uma arqueóloga foi chamada para orientar as escavações. Tudo que ele achava se tornava propriedade do Estado e ele tinha que cumprir várias regulações, mas Faggiano decidiu pagar pela escavação, porque senão a casa ficaria fechada por uma década.

Lecce Puglia museu Faggiano paredes medievais

Eles decobriram vasos antigos, garrafas romanas, um anel antigo com símbolos cristãos, afrescos medievais. Foram quase cinco mil objetos, representativos de praticamente toda época. Foram sete anos na vida da família – Luciano Faggiano confessa que ele ficou obcecado com a quantidade de objetos que saía da casa diariamente, e que ele ainda estava procurando o cano.

Os artefatos mais importantes foram levados para museus e universidades, mas um número enorme ainda está na casa dos Faggiano, que hoje em dia é um museu contando a história da escavação. Quando eu fui lá, quem estava na porta era justamente o Davide, o filho mais novo, que mostrava as marcas na parede de onde o chão costumava ser, e me deu o mapa para a visita.

É só seguir os objetos listados para ver marcas e mosaicos, passando por chãos de vidro e escadas e metal, e aprendendo mais sobre a história de Lecce no caminho. No final, a gente pode subir no telhado para ver a vista da cidade. Apesar do famoso barroco de Lecce e das igrejas suntuosas, esse acabou sendo meu passeio preferido na cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s