O Museu dos Cosmonautas e VDNKh – uma outra perspectiva da Guerra Fria

Crescendo no Brasil, eu vi muitos filmes na sessão da tarde que contavam a guerra fria pela perspectiva dos EUA. Começando por Anastasia – gente, vocês também ficaram chocados quando ficaram grandes o bastante para notar que o Rasputin é basicamente a Revolução Russa, e eles são demônios? Então achei que seria intrigante pegar um dia em Moscou para ver lugares construídos para falar do lado deles.

Eu comecei minha visita pelo Museu dos Cosmonautas. Como eu estava saindo do metrô, já saí de frente ao Monumento aos Cosmonautas, impossível de perder: ele tem 110 metros de altura. Já comecei a ter uma ligeira pista de que eles procuravam uma idéia de grandiosidade, né?

Moscou museu dos cosmonautas 1

Que país não gosta de mostrar aquilo que os faz sentirem poderosos? Ainda mais agora, que tanta gente não vê a Rússia mais como uma potência, não me surpreende que tanta gente queira ir lá para ver os resquícios de quando eles disputavam a corrida espacial passo a passo com os EUA. A gente já chega com uma estátua enorme de Iúri Gagárin, o primeiro homem no espaço.

Moscou museu dos cosmonautas estatua do Gagarin

Nas próximas salas vemos algumas reproduções de satélites que orbitaram em volta da terra e alguns satélites de verdade. Alguns flutuam em cima de nós, alguns ficam perto, abertos para mostrar o que tinha dentro e em alguns podemos até entrar para dar uma voltinha (inha – o espaço é limitado). Também tem posters antigos e até as cadelinhas Belka e Strelka, que foram ao espaço e voltaram, empalhadas.

Moscou museu dos cosmonautas dentro da Soyuz

Desde que o museu foi reformado, nos anos 2000, ele também conta a história de vários outros programas espaciais, inclusive nos EUA e na Europa. Tem bandeirinha do Brasil e foto do Marcos Pontes, inclusive.

Moscou museu dos cosmonautas 2

As informações em inglês são inconstantes, mas acho que vale a pena visitar o museu mesmo assim. Sou menos entusiástica sobre se vale a pena comprar a comida espacial só para testar – já adianto que são todas nojentas. Provei várias que o povo comprava no albergue e para mim a menos nojenta foi ricota (surpreendentemente) e a mais nojenta foi a de carne de carneiro.

Moscou museu dos cosmonautas 3

Depois continuei para a VDNKh (pronuncia-se Vê-dê-en-ha). O acrônimo em russo vem de Выставка достижений народного хозяйства, ou Exposição das Conquistas da Economia Nacional. Ele foi pensado como uma Exposição permanente para fazer propaganda dos países da URSS, principalmente sobre alguns aspectos, como os Sovkhozy, as fazendas do Estado. Você já deve ter ouvido a expressão “Palácio do Povo”, que usam muito para falar do metrô, mas ela também era usada para falar desse lugar.

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas 1

A parte mais famosa são as fontes, que não consegui ver, porque elas estavam em reformas. Mas deu para ver que elas absolutamente gigantescas, e gostaria de voltar para ver como fica o parque com elas. Felizmente, os pavilhões foram uma ótima surpresa. Cada um foi pensado para representar feitos e conquistas do estado soviético. O prédio da Ucrânia, por exemplo, é cercado de estátuas de Stakhanovistas. Stakhanov foi um trabalhador ucraniano que extraiu de uma mina de carvão 14 vezes a sua cota, e foi muito homenageado em todo o país. Seu nome se tornou sinônimo de trabalhador diligente, e se tornou um ideal soviético.

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas pavilhão ucrania

Alguns dos pavilhões são dedicados a países da ex-URSS, como a Abkhazia, Cazaquistão, Azerbaijão, Belarus e Armênia e regiões da própria Rússia como a Karelia. Alguns dos prédios foram construídos em estilo soviético, outros nos estilos dos países, e essa é uma parte fascinante do conjunto. Ver o prédio do Uzbequistão misturando aquele estilo rota-da-seda que é nosso estereótipo do país com realismo soviético é lindo.

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas pavilhão uzbequistão

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas pavilhão armenia

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas pavilhão Belarus

Outros pavilhões são dedicados a feitos da União Soviética, como o clube de xadrez, a Fazenda Urbana, o Aquário Moskvarium, a exposição ao ar livre de equipamento militar. E a área ainda recebe congressos e feiras. Como o espaço é maior do que todo o principado de Mônaco, faz sentido.

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas pavilhão cosmonautas

Existem dezenas de cafés e restaurantes dentro do complexo, muitos deles para mostrar uma comida típica. No dia em que fui lá, fui em um lugar pequeno que servia comida do Uzbequistão. Foi a primeira vez que provei o Plov, um prato com arroz, cordeiro e temperos típicos que por aqui também é conhecido como arroz pilaf. Hoje a herança do parque é um pouco complicada, como tudo comunista, mas tá sendo redesenvolvido em um estilo hipster-soviético que me lembra as fábricas abandonadas transformadas em centros culturais.

Moscou VDNKh parque exposições países comunistas pavilhão

Continuei mais um pouco, apesar de estar começando a ficar frio, pelo Parque Ostankino. Ele é conhecido pelos jardins botânicos onde plantas exóticas cresciam. Passeei um pouco por lá até chegar a esse laguinho congelado, mas aí estava ficando frio mesmo e dei o dia por encerrado. Foi um ótimo dia com o tema Guerra Fria em Moscou, e recomendo para quem se interessa pela Rússia.

Moscou parque ostankino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s