Noite Branca em um telhado de Petersburgo

Vale a pena arranjar encrenca em um país estrangeiro? Subir em um telhado ilegalmente, com o risco de acidentes, da polícia chegar e você ter que se explicar em russo, de pagar uma multa? Foi a segunda pergunta que me fiz quando li sobre os tours de telhados em Petersburgo, primeiro em uma reportagem no The Guardian, e depois, procurando relatos, no Vontade de Viajar, que acabou sendo um blog que li muito me preparando para a viagem. A primeira pergunta que eu me fiz foi bem diferente “onde eu consigo?”

Petersburgo tem uma cultura de telhados. Nos dois meses que passei lá, fui em cafés em telhados, um telhado com graminha artificial para quem quisesse deitar e curtir a cidade, um show de blues em outro telhado. É um espaço que eles realmente sabem utilizar, principalmente no verão.

Ver a cidade do alto se tornou para muitas pessoas um esporte para os mais aventureiros, um hobby para achar um lugar calmo no centro, uma forma de rebelião, porque é ilegal, e mesmo uma cultura de liberdade. Depois eles se tornaram tours, que vão desde os mais básicos, que geralmente mostram três telhados pela cidade, a alguns temáticos, principalmente sobre a Segunda Guerra e o Cerco de Petersburgo, ou alguns que incluem sessão de fotos, piquenique, ou vista de algum evento específico.

Café solaris telhado petersburgo vista st isaac
Café Solaris, em um telhado de Petersburgo

Outra das minhas prioridades na cidade era curtir as Noites Brancas, a época do ano em que o sol não se põe e Petersburgo fica às claras, cheia de eventos a madrugada inteira e de gente insone andando pelas ruas e canais. Logo que aí veio a idéia de juntar o útil ao agradável e ir de madrugada ver os telhados.

Para aproveitar bem as Noites Brancas, eu fui bem no final de junho, um pouco antes de vir embora. O problema foi que essa primavera inteira foi mais quente e menos chuvosa do que costuma ser em Petersburgo, mas esse dia foi especialmente frio e chuvoso. E por causa da noite, estava bem escuro.

 

Eu marquei com um grupo chamado All The Roofs pelo Whatsapp, junto com mais uma voluntária e um hóspede do hostel. Eles me mandaram o endereço onde devia encontrar o guia, Alex, à meia-noite. Ele estava com mais duas meninas russas, e entramos logo no prédio. O Alex nos instruiu a entrar em silêncio, porque os tours não são regulamentados e os moradores podiam chamar a polícia.

petersburgo telhado noites brancas predio

Subimos primeiro pela escada normal, depois ele destrancou outro cadeado e subimos para o telhado, com o cuidado de pisar nas tábuas de madeira e não no saibro para não fazer barulho.

petersburgo telhado noites brancas subindo para o telhado

No telhado, eles colocaram alguns emborrachados pretos para andarmos com mais segurança, sem ter que pisar nas telhas escorregadias, e sentamos lá para esperar as Pontes Cantantes. É que nessa época do ano as pontes do rio Nevá se abrem para que navios cargueiros passem pela cidade, e vira um espetáculo, já que a cidade fica toda iluminada e eles tocam música clássica.

petersburgo telhado noites brancas vista st isaac
Vista para a Catedral de S. Isaac

petersburgo telhado noites brancas vista academia de belas artes

petersburgo telhado noites brancas vista 2

O prédio era em frente a Academia de Belas Artes, que tem uma grande estátua de Minerva no topo, e entre duas pontes, a do Hermitage (Ponte do Palácio ou Дворцовый мост) e a da Anunciação (Благовещенский мост), então dava para ouvir a música e ver os barquinhos passando muito facilmente. O Alex também aproveitou para contar as histórias dos roofers, casos com turistas, explicar mais sobre os prédios que víamos.

petersburgo telhado noites brancas vista ponte palacio abrindo pontes cantantes
Olha o quase nada de céu claro em meio às nuvens

petersburgo telhado noites brancas vista ponte anunciação abrindo pontes cantantes

petersburgo telhado noites brancas vista

Ficamos lá em cima um pouco menos de uma hora e meia, já que as duas pontes tinham horários de abertura diferentes, e depois descemos logo porque até os russos já estavam congelando. Descemos para ver as pontes de perto e o tempo abriu imediatamente. Murphy não ajudou, mas ainda valeu o perigo (que nem era tããão grande, mas olha se seu seguro saúde cobre), o medo da polícia, e o tempo, que claramente tinha algo contra mim.

noites brancas beira do neva tempo fechado
Foto tirada às 1:55
noites brancas beira do neva tempo bom
Foto tirada às 1:59!

4 comentários

    1. Julia Boechat

      Oi, Nanda, tudo bom? Ajudaram mesmo, e também fiquei completamente apaixonada por lá!
      Ver as pontes dos barcos também deve ser muito lindo. Da próxima vez quero fazer um passeio de Stand Up Paddle!
      Beijos

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s