Trastevere: em Roma como os romanos

Trastevere tem a fama de ser onde moram “os romanos de verdade”. É um bairro diferente, onde você não vai encontrar nem famosíssimas ruínas de Roma antiga nem prédios barrocos que caracterizam as reformas de Roma no século XIX. O nome vem do latim para “além do Tibre”, ou seja, do outro lado do rio que corta Roma, e por isso o bairro ficou isolado de muitas das mudanças que afetaram o resto da cidade.

Ruazinhas de Trastevere 2

Cinco séculos antes da nossa era, Trastevere era onde moravam os pescadores e marinheiros, gente que vivia do rio Tibre. Depois, a área se tornou a moradia comum de imigrantes, principalmente judeus vindos do Oriente Médio. Por causa do isolamento e do multiculturalismo, o bairro desenvolveu uma cultura própria. Hoje, é um lugar conhecido como casa de artistas e expats, atraídos pela vida noturna do bairro. Hoje em dia tem muitos turistas também, e logo muitos vendedores de paus de selfie e bobbleheads, mas nada que se compare às áreas centrais de Roma.

Ruazinhas de Trastevere 1

A Piazza di Santa Maria in Trastevere é uma das mais bonitas de Roma, com uma fonte do século VII, depois reformada por Bramante e Bernini.

A Basílica de Santa Maria in Trastevere também é uma das mais antigas da cidade, decoradas com pilastras jônicas ainda mais antigas, tiradas das Termas de Caracalla e do Templo de Isis. Na Idade Média, ela foi decorada com os mosaicos que ainda são famosos.

Santa Maria in Trastevere praças de Roma

A Ponte Sisto é uma das mais fotografadas da cidade, famosa pela vista do Vaticano. Ela é também conhecida pelo óculo, o cículo no centro da ponte. Ele foi feito para diminuir a pressão na estrutura em caso de enchente do Tibre.

Ponte Sisto Trastevere

A Villa Farnesina foi um lugar que estudei nas minhas aulas de história da arte, então eu estava louca para visitar da última vez que fui à Roma. Ela é conhecida pelos afrescos incríveis, e os que eu mais queria ver ficam no Salone delle Prospettive, de Peruzzi.

Tá vendo o balcão com a vista ao fundo? É uma parede reta. Mas, em alguns ângulos da sala, você desconfia dos próprios olhos, o que era a intenção do pintor. Entre os incríveis afrescos, uma curiosidade triste: pixações feitas pelos mercenários alemães que participaram do saque de Roma em 1527.

Sala das perspectivas na Villa Farnesina

Detalhe na Villa Farnesina

Rafael na Villa Farnesina

Afrescos Cupido e Psiquê, de Rafael

Sodoma na Villa Farnesina

Casamento de Alessandro e Rossana, de Sodoma

No segundo domingo de cada mês, há um tour guiado atmosférico, somente em italiano, acompanhado por músicos tocando música renascentista. É necessário reservar!

Afresco na Villa Farnesina

Outro Museu para visitar em Trastevere é a Galleria Corsini, parte do Museu Nacional de Arte Antiga, junto com a Galleria Barberini.

A maior atração, porém, é o bairro em si: um labirinto de ruazinhas medievais estreitas onde você pode encontrar de tudo, praças com fontes perfeitas para brincar de people-watching, osterias onde você pode comer os pratos mais tradicionais e bares hipsters para provar cervejas artesanais.

Ruazinhas de Trastevere 3

Alguns dos lugares que me recomendaram da última vez que eu estive por lá foram Da Enzo al 29, Teo, Trattoria degli Amici (pratos tradicionais), Brusco lo Strabuono (especializado em Bruschettas diferentes), Mama Pasta (lugar moderninho que mistura as massas e molhos em um produto para coquetéis), Bir & Fud (pizza), Ma che siete venuti a fa’ (cervejas artesanais e futebol).

Se você tiver ânimo, não deixe de subir para o bairro vizinho de Gianicolo e ver a que é, para mim, a melhor vista de Roma!

Gianicolo Vista de Roma 2

Gianicolo Vista de Roma 1

Deixe uma resposta