Volta ao Mundo em Livros: Japão – Breasts and eggs

Com o Japão, fecho três países para os quais eu estava com dificuldade de escolher livros, já que muitos me interessaram, e que resolvi graças à lista dos 40 romances escritos por mulheres indicados pela Elena Ferrante (antes dele teve Malina, de Ingeborg Bachmann, para a Áustria, e The Enlightenment of the Greengage Tree, de Shokoofeh Azar, para o Irã). E o romance japonês que ela indicou foi um que eu realmente vejo como interessou à autora italiana: Breasts and Eggs, de Mieko Kawakami.

O romance é dividido em duas partes, ambas contadas por uma aspirante à escritora, Natsu. Na primeira, a irmã dela, Makiko, chega em Tóquio com a filha de 12 anos, Midoriko. Makiko quer fazer uma cirurgia para colocar silicone. Midoriko não fala com a mãe há seis meses, e o romance coloca trechos do que ela escreve nos seus cadernos para nos mostrar como ela está sendo afetada pela chegada da puberdade e pela decisão da mãe, que ela não entende.

A segunda parte foca em Natsu, que quer ter um filho, e tenta pesar as suas opções como uma mulher solteira no Japão. A questão não é tão fácil, já que ela não tolera sexo, e qualquer solução fora da família tradicional é mal vista na sociedade. A Natsu considera doação de esperma, mas ela é proibida no Japão para mulheres solteiras. Então ela pensa muito em ir a um banco de esperma estrangeiro ou em encontrar um doador em fóruns da internet dedicados a isso. E parece que todo mundo ao redor dela está interessado em dar um pitaco, o que não surpreende, as pessoas adoram ditar regras sobre quem deve e não deve ter filhos. Mas a forma especialmente cândida como a Kawakami escreve sobre classe e sexualidade é realmente especial. Ouvi falar que em japonês é ainda melhor, que a forma como ela usa o dialeto de Osaka é sensacional.

“My mom was free labor – free labor with a pussy”.

O romance me lembrou de outros que já li sobre temas parecidos – como o Maternidade, da Sheila Heti, que também apareceu na lista da Ferrante, e também fala da decisão de ter filhos comparando-a à criação literária. Mas ele também conta muito sobre a sociedade japonesa, e de uma perspectiva que foi completamente nova para mim. Por isso eu achei que foi uma excelente recomendação, e adorei ter lido Breasts and Eggs.

Deixe uma resposta