Pisa além da Torre

Para falar a verdade, eu só visitei Pisa recentemente porque era de onde saía o vôo mais barato para Marrakech pela Ryan Air. Eu tinha passado algumas horas em Pisa quando estava fazendo um curso de italiano em Florença, e não tinha pensado em voltar, mas acabou sendo bom porque tinha uma amiga lá que me hospedou por uma noite antes do meu vôo e se ofereceu para me mostrar um pouco da cidade.

 

Assim que eu cheguei lá, fomos passear no Lungarno, às margens do Arno, e comer sanduíches de cecine, com camadas finíssimas de grão-de-bico fritos, um lanche típico de Pisa.

Pisa lungarno

A gente não sabe ao certo quando Pisa foi fundada, mas sabemos que em Roma antiga eles se referiam a ela como uma cidade antiga. Pode ter começado como colônia grega, cidade etrusca, ou como um lugar por onde todos esses povos passaram. Depois ela foi parte do império romano, e mudou várias vezes de mãos na Idade Média, mas permaneceu poderosa por sua ligação com o mar. Finalmente ela se estabeleceu como uma das Repúblicas Marítimas mais poderosas da Itália.

São dessa época os edifícios atuais da Piazza dei Miracoli (praça dos milagres), a praça central de Pisa famosa como o lugar da torre, mas que na verdade é bem mais que isso.

Pisa piazza miracoli praça dos milagres torre inclinada

A praça existe desde a época etrusca, mas o prédio mais antigo da praça atual é a Catedral. Sua construção começou em 1064, em um estilo muito distintivo conhecido como pisano-romanesco. Ela tem uma influência bizantina bem forte, especialmente nos mosaicos no interior.

 

Em seguida foi construído o Batistério, em meados do século XII em estilo romanesco. Ele é o maior batistério da Itália, e é conhecido pela acústica.

pisa batistério

Depois, no final do século XII, foi construída a Torre do Sino, que ficou conhecida como a Torre Inclinada de Pisa. Ela demorou quase cento e oitenta anos para ser construída, já que ela começou a se inclinar já no meio da construção e foi abandonada e retomada várias vezes.

Foi da torre que, segundo algumas fontes e meu livro de física do ensino médio, Galileu jogou duas pedras de massas diferentes para provar que elas cairiam com a mesma velocidade.

Pisa torre inclinada

Outra parte da praça é o Camposanto Monumentale, o cemitério murado conhecido pelas estátuas e sarcófagos romanos.

No sul da praça fica o Ospedale Nuovo di Santo Spirito, um hospital construído durante a Idade Média para os pobres e as crianças abandonadas. Hoje, parte do prédio é usada para o museu das Sinopie, os desenhos originais dos afrescos do Camposanto.

O último prédio da praça é o Palazzo dell’Opera, que na verdade é feito de um complexo de casas que antigamente eram reservadas para os trabalhadores do complexo da catedral. Era onde moravam os tocadores do sino, jardineiros, etc.

Eventualmente, veio o declínio. A cidade perdeu uma batalha naval para Gênova no século XIV e foi ocupada por Florença, mas alguns historiadores acham que a causa da queda da cidade na verdade foi a distância do mar. Na época romana, Pisa ficava a 4 quilômetros do mar. Hoje, graças ao assoreamento do rio Arno, ela fica a 17.

É dessa época outra praça famosa, a segunda maior da cidade, a Piazza dei Cavalieri. Durante a época romana, ficava aqui o fórum do porto de Pisa. Depois ela ficou conhecida como Piazza delle sette vie, praça das sete ruas, e era onde os pisanos se encontravam para discutir as questões da cidade. A praça foi completamente reconstruída depois da conquista de Pisa no estilo do renascimento. O único prédio mais antigo que sobrou foi o Palazzo dell’Orologio, que aparece no Inferno de Dante. Quando o palácio foi construído, ele englobou a chamada Torre da Fome, por ter sido o lugar onde o conde Ugolino della Gherardesca foi preso com os filhos e netos, condenados a morrer de fome.

pisa palazzo dell'orologia divina comedia dante

O atual maior prédio da Piazza é o Palazzo della Carovana, construído no século XVI por Giorgio Vasari e que hoje é a sede principal da Scuola Normale di Pisa, uma prestigiosa universidade.

pisa piazza cavalieri palazzo carovana

Também na praça fica a chiesa di Santo Stefano dei Cavalieri, também construída por Giorgio Vasari. Minha amiga me contou que a praça também era um lugar onde estudantes costumavam se reunir de noite, mas que às vezes aconteciam protestos contra o atual prefeito, e por isso ele estabeleceu uma política de lavar a praça todas as noites para que eles não conseguissem se reunir lá.

pisa santo stefano cavalieri

Ela também me explicou os grafites da cidade, dos que protestavam a política contra refugiados na Itália aos onipresentes “Pisa merda”, referência a rivalidades no futebol entre Pisa e Livorno.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s