Volta ao Mundo em Filmes – Argentina: A História Oficial

Na hora de escolher um filme para representar a Argentina, teve um clássico que realmente se sobressaiu e sobre o qual deu vontade de escrever: A História Oficial, de Luis Puenzo. Ele filmou a história, que fala sobre a ditadura na Argentina, clandestinamente enquanto ela ainda estava em vigor, e com uma atriz principal, Norma Alejandro, que tinha acabado de voltar do exílio.

O filme segue Alicia (Norma Aleandro), uma mulher de classe alta que trabalha como professora de história. Quando os alunos a questionam sobre o que está acontecendo no país, ela repete os clichês do livro didático, e diz que só culpados de crimes sérios foram presos pelo regime. A vida dela gira em torno de marido, Roberto (Héctor Alterio), e da filha, Gabi, que eles adotaram cinco anos antes.

Um dia, ela se reúne um dia com amigas que ela não vê há algum tempo. Alicia brinca com Ana (Chunchuna Villafañe), uma de suas amigas, que se mudou para a Europa sem nem avisar algum tempo antes. Ana começa a contar a história de como o seu apartamento foi revistado por policiais em Buenos Aires que procuravam por um ex que ela não via há anos, para o divertimento de Alicia. Mas aí a história se torna sombria, enquanto ela revela que foi presa, torturada e estuprada pela polícia secreta. Ela também conta sobre outras mulheres que viu, estupradas ou presas já grávidas, cujos bebês desapareciam. Alicia conta para o marido, um empresários com conexões importantes, a história de Ana, mas ele fala que é tudo invenção. Alicia não se deixa convencer dessa vez, porque ela viu uma rachadura na história oficial contada pelo governo e ela pensa em como a família dela pode ser implicada nisso. Quando eles adotaram a Gabi, tudo foi feito por debaixo dos panos, com ajuda de amigos do marido. E quanto mais ela aprende sobre o regime, mais ela suspeita que a menina pode ser a filha de uma presa política.

É um filme tenso. Alicia se sente muito dividida, porque ela quer saber e reparar o que aconteceu, mas ela tem medo de perder a menina no processo. O que ela acontece se ela encontrar a mulher de quem Gabi foi roubada, e ela quiser a filha? Mas ela não para de procurar saber, e visita as Mães da Praça de Maio, que ganharam repercussão com esse filme, para procurar por conexões.

Hoje em dia parece mais relevante do que nunca falar sobre como alguém pode se manter voluntariamente cego enquanto o mundo desaba a seu redor. E o que acontece quando a pessoa percebe que não dá mais, e que fingir que não vê não o manteve isolado do que estava acontecendo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s