Volta ao Mundo em Filmes: Uruguai – A Demora

O filme escolhido para o Uruguai foi A Demora, de Rodrigo Pla. O filme fala de uma mulher uruguaia que luta para conseguir cuidar dos filhos e do pai octogenário cuja saúde está deteriorando.

Maria trabalha em uma fábrica como costureira, e frequentemente tem que levar trabalho para casa. Vemos na fábrica como os funcionários planejam uma greve, mas ela não será incluída porque trabalha como temporária – há cinco anos. Ela não tem férias nem direito a uma indenização se for demitida. O salário da fábrica não chega para sustentar os seus três filhos, e ela prometeu para a mais velha que ela pode ir em uma excursão, mas já deveria ter pago na semana anterior.

Eles dividem o pequeno apartamento de um banheiro com o avô, Agustín. Ele tem momentos de lucidez, mas a cada dia sua saúde piora. Algumas vezes Maria chega a noite do trabalho e ele não está lá, e ela deve correr pelo bairro para descobrir onde ele se perdeu. Ele não pode mais ser deixado sozinho na casa, mas ela não tem escolha, com o trabalho.

Maria passa dias tentando achar uma solução. Sua irmã não está disposta a ajudar. Em uma agência do governo, ela descobre que com o seu salário, o Bolsa-Família e a aposentadoria do pai, ela é considerada rica demais para colocar o pai em um asilo do governo. O funcionário diz que ela não deve ter esperanças, porque eles são mais para os sem teto, e que o pai dela parece saudável. Não adianta ela dizer que ele precisa de assistência médica.

Em um momento de desespero, Maria abandona o pai em um banco de praça em um bairro longe, sabendo que ele não vai conseguir voltar para casa. É a demora – ele espera que ela volte, sem entender o que aconteceu, enquanto a noite chega e a temperatura baixa. E ela espera que os serviços de emergência que ela chamou o levem a um asilo.

O filme me fez pensar em Amor, de Michael Haneke, talvez porque não existam muitos filmes que tratem da situação de idosos, e das dificuldades dos que tem momentos de lucidez em meio a uma doença mental que progride. Mas enquanto os protagonistas de Amor viviam em um grande apartamento de Paris com acesso a médicos, A Demora ainda tem a dificuldade e a humilhação causadas por uma situação financeira insustentável, uma perspectiva de terceiro mundo. Talvez o filme pudesse existir em outros países do terceiro mundo, mas ainda foi uma ótima escolha para o Uruguai.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s