Napoleão em Paris e Londres: Uma história de duas cidades

Viajar por uma cidade é ver a história que eles resolveram contar de si mesmos. Os nomes que foram escolhidos para estações de trem, pontes, praças e escolas contam quem essa sociedade resolveu honrar, que memória resolveram preservar. Visitando Londres e Paris, eu não conseguia parar de pensar sobre isso, ao ver como muitas vezes eles contavam histórias diferentes sobre os mesmos personagens.

Em Paris, uma das maiores estações de trem da cidade é a Gare Austerlitz, que tem esse nome por causa da maior vitória de Napoleão, em 1805. Para comemorar sua vitória, ele comissionou a Coluna de Vendome, agindo de forma similar aos imperadores da Antiguidade. No topo, fica uma estátua de Napoleão vestido como um imperador romano, feita com o bronze dos canhões inimigos capturados no campo de batalha.

Paris Coluna Vendome

O Arco do Triunfo foi comissionado de forma parecida, para comemorar as vitórias de Napoleão. Assim como a coluna, ele foi feito como os arcos do triunfo que circundavam Roma na antiguidade, e foi decorado com baixos relevos de suas vitórias. Outro Arco do Triunfo foi construído nas Tulherias, e em cima dele ficavam os cavalos tirados da Piazza San Marco em Veneza, devolvidos depois de muitos anos. Não há dúvidas de que a história que Napoleão pretendia contar de si mesmo o equipararia aos romanos antigos, e ele pretendia mesmo construir um grande templo romano dedicado às suas vitórias. Mas ele só ficou pronto depois da sua queda, e foi inaugurado como uma Igreja, a Madeleine.

 

Entre as pontes do Sena, temos a Pont de Iena, que recebeu esse nome por causa da vitória na batalha de Jena, em 1806. Mas o maior monumento napoleônico é com certeza o Invalides, um antigo hospital para veteranos do exército transformado em museu do exército. Nele, o túmulo de Napoleão fica um andar abaixo da entrada, e pode ser visto por um nicho – para te obrigar a abaixar a cabeça quando você olha para ele. Ele é cercado por seus familiares, seus marechais e generais, e por figuras que mostram suas grandes vitórias.

Invalides estátua Napoleão

Invalides Napoleão Paris

Não que falte controvérsia sobre a sua figura na França: muitos o vêem como um libertador, principalmente pelo Código Civil Napoleônico, muitos o vêem como um tirano que traiu a revolução, visão que se tornou especialmente popular após a Segunda Guerra. Por isso não existem um Boulevard Napoleon ou uma Place Napoleon. Mas a história que é contada nas ruas de Paris ainda é uma história de vitória. E ele se tornou uma figura importante da cultura francesa: desde sua morte, um livro é escrito sobre ele praticamente a cada ano.

Algumas horas depois, e você pode estar em Londres, ouvindo uma história completamente diferente. Trafalgar Square, uma das praças mais grandiosas de Londres, tem esse nome por causa da grande batalha naval em que os ingleses ganharam de Napoleão.

As fontes foram construídas por causa desse tema naval. Em cima de uma coluna, fica uma grande estátua do almirante Nelson, que comandou os ingleses durante a batalha. Ele morreu de ferimentos  da batalha, e teve um enterro de herói em Londres. Suas últimas palavras, ao ouvir da vitória e perceber que estava morrendo, foram “Kiss me, Hardy”, para um de seus soldados, que imediatamente o beijou na bochecha e na testa. Anos depois, por motivos homofóbicos, começaram a espalhar que as palavras na verdade foram “Kismet, Hardy”, uma palavra de origem árabe que significa destino, e que não começou a ser usada na Inglaterra até décadas depois da morte de Nelson.

Trafalgar Square Londres coluna Nelson

Nelson foi enterrado na Catedral de St Paul, um dos poucos a receber essa honra, junto com o duque de Wellington, que alguns anos depois derrotaria Napoleão em Waterloo, Churchill e Margaret Thatcher.

St Paul e Millenium Bridge Londres

A ponte de Waterloo original foi construída em 1817, dois anos depois da vitória sobre Napoleão. Depois o nome passaria para a estação de trem e uma de metrô lá perto, e finalmente se tornaria um nome importante na cultura britânica. O nome Waterloo virou sinônimo de uma grande derrota, como na música dos Libertines You’re My Waterloo.

Os nomes dos lugares famosos e a preservação de lugares relacionados a Napoleão são outra briga entre Paris e Londres, a luta pelo direito de dar nome ao que aconteceu. Ao ressaltar suas vitórias ou derrotas, eles disputam pelo direito de contar sua história, de uma forma que não se vê muito. Na maioria dos eventos, temos apenas a versão dos vencedores, e por isso para mim foi tão interessante ver essa diferença. Em um ponto, os ingleses definitivamente ganharam: até hoje a maioria das pessoas acredita que Napoleão era baixo, segundo a propaganda inglesa, quando ele era na verdade um pouco mais alto que a média. Mas no resto, se ele vai ser reverenciado como libertador ou demonizado como tirano, ainda está em aberto.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s